iPad aberto no Coursera, uma plataforma de cursos online - Nomadismo Digital Portugal

Cursos online: quais os melhores sites e formações online?

Índice

De um dia para o outro a nossa relação com a tecnologia mudou drasticamente. Em 2015 quando comecei a trabalhar remotamente e a fazer cursos online, as pessoas duvidam da aprendizagem que eu estaria a absorver.

A pandemia do COVID-19 e a adaptação que tivemos que fazer nas nossas vidas, trouxeram uma aceitação do digital. Atingiu-se a realização pela qual muitos empreendedores, produtores de conteúdos e professores andam a “pregar” há anos: que sim, é possível aprender online.

É possível fazer cursos online que não só nos empoderam de conhecimento, como também nos ajudam a ter melhores trabalhos, melhores oportunidades e, em alguns casos, fazer mudanças nas nossas vidas.

Neste post quero partilhar contigo vários conselhos de como podes encontrar os melhores cursos online. Vou partilhar contigo as plataformas que recomendo para aprender online, mas também como escolher as melhor formações.

Com tantas opções, não é de estranhar que nos sintamos perdidos sobre qual escolher, e que nos questionemos se valerá mesmo a pena investir tempo e dinheiro nessa aprendizagem.

Não só vou partilhar contigo onde podes encontrar esses cursos, mas de que forma podes refletir e pensar em como escolher, aproveitar e aplicar de forma valiosa o que aprendes.

Como escolher entre tantos cursos online?

Em mais de cinco anos de trabalho remoto, já perdi a conta dos cursos online que adquiri (gratuitamente ou pagos). São, sem dúvida nenhuma, mais do que cem. Agora, se me perguntares quais são os cursos que realmente fiz até ao fim e, mais importante, que me foram úteis… a história já é bem diferente.

Poucos foram os cursos que fiz que me desiludiram. Os que senti que me iam desiludir, nunca os acabei. Afinal, o tempo não é muito e temos que nos manter focados.

O que me leva ao início: já adquiri muitos cursos que nunca cheguei a acabar. E o dinheiro, o tempo e os dados pessoais que tive que ceder na inscrição desses cursos fizeram com que hoje seja muito mais consciente na inscrição que faço de qualquer conteúdo. E é sobre isso que te quero fazer refletir.

Vão sempre existir centenas de opções para aprenderes alguma coisa. Nesse sentido, o que te recomendo a pensares e avaliares para conseguires escolher a melhor opção para ti é:

  1. Avalia o formador
  2. Define os teus objetivos
  3. Pensa na aplicabilidade do que vais aprender
  4. Compara o investimento imediato com o que vais fazer depois do curso

Avalia o formador

Quando decidires fazer um curso online ou uma formação online é essencial saberes quem é o formador. E esse saber deve passar, a meu ver, por duas componentes: o background e o feeling.

Background do formador

É importante saberes o background do teu formador. Digo muitas vezes que saber sem fazer, não é saber, e esse meu mantra (da autoria de Lao Tsé) aplica-se muito às formações online.

Eu não quero dizer com isto que a única forma de aprenderes estratégia de redes sociais tenha que ser com o Mark Zuckerberg, mas acredito que deva ser com alguém que aplique esse conhecimento de alguma forma.

O formador não precisa de ter um projeto com milhões de seguidores (até porque nem sempre seguidores significa credibilidade) ou ser alguém que já tenha experiência de mil cursos feitos. Mas precisa de ser alguém que não tenha problemas em mostrar-te de que forma aplica esse conhecimento.

Não tenhas medo de, antes de te inscreveres num curso online, procurares referências dessa pessoa e, no caso de não encontrares, enviares um email a pedir referências.

Dou-te um exemplo: eu não sou formadora certificada, e nunca dei aulas numa faculdade ou instituição. Mas há uns meses decidi fazer um workshop online de quatro horas de SEO. Eu trabalho com otimização de SEO no meu trabalho como freelancer há vários anos, e aplico esse mesmo conhecimento nos conteúdos do Nomadismo Digital Portugal.

Não teria nenhum problema se alguém me contactasse a pedir exemplos de conteúdos que eu otimizei e que resultados é que eu alcancei no Google.

Nenhum profissional deve recusar mostrar provas do que ensina ou partilhar referências. Se recusar, isso é uma grande red flag e motivo de alerta.

Nenhum profissional deve recusar mostrar provas do que ensina ou partilhar referências“.

No final deste post ofereço-te uma checklist que tem um email-tipo que podes usar para entrar em contacto com o formado.

Feeling com o formador

Para além dessa verificação de conhecimento, que pode ser feita através de alguma pesquisa da tua parte ou por contacto direto com o formador, avalia também o feeling que tens com ele.

O que me difere de outros profissionais que ajudam individuais a adaptar-se ao trabalho remoto não é certamente o que sei. Afinal, não gosto de pensar que sei mais do que os meus colegas; não sei coisas diferentes, e o conhecimento que eu tenho, está também ao alcance deles.

O que me difere, sou eu. A minha forma de comunicar, a forma com que me relaciono com quem me aborda e a minha forma de tratar as pessoas que me contactam.

O feeling que tens com e pelo formador é importante; afinal, não só se espera que passes algum tempo a ouvi-lo e a lê-lo, como também sabemos que quando nos identificamos com alguém, é mais fácil mantermo-nos concentrados.

Define os teus objetivos antes de te inscreveres em cursos online

Queres aprender a teoria de algum tema ou queres pôr as mãos à obra? Queres iniciar-te num tema ou queres já mergulhar em algo mais específico e profundo?

Por norma, os cursos online focam-se num tipo de perfil. Começa por ver qual é o nível do curso – e mais uma vez, em caso de dúvida, entra em contacto com o organizador ou formador. Se és iniciante no tema, não mergulhes num que diga explicitamente que é para nível intermediário ou avançado.

Partilhando contigo algo pessoal, a única avaliação menos positiva que tive num workshop online meu foi de uma pessoa que disse que já tinha conhecimentos de SEO e que sentiu que o workshop era bastante básico. No entanto, o título desse meu workshop era “Introdução ao SEO” e eu escrevi de forma clara na página de vendas que era para pessoas que estavam a iniciar-se no mundo da criação de conteúdo online.

É importante saberes o que procuras aprender, em que nível estás e o que pretendes retirar desse curso. Afinal, não queres investir tempo e/ou dinheiro em algo que não te vai agregar valor, certo?

Pensa na aplicabilidade do que vais aprender

Algo que também não fiz durante muito tempo e que fez com que queimasse muito dinheiro em formações e cursos online inúteis foi não pensar na aplicabilidade do que eu queria aprender.

Antes de decidires inscrever-te no que quer que seja, pensa: “o que é que pretendo fazer com este conhecimento?”.

Se não associares diretamente um benefício ao curso, talvez não seja o momento de o fazeres. Deixa-me explicar melhor.

Nunca é demais aprender, mas numa altura onde temos tanto conhecimento e estímulos, é crucial colocarmos um propósito e aplicabilidade no que nos comprometemos a consumir. Pela efemeridade e rapidez do que consumimos, fazemos e vivemos, é importante que esse benefício seja aplicável a curto prazo.

Afinal, nada te garante que no próximo mês não encontres um melhor curso sobre esse tema, ou que daqui a um ano já não estejas virado para esse tipo de conhecimento.

Se a tua reflexão for do tipo “vou aprender marketing de conteúdo para criar um blog”, mas não conseguires definir uma meta temporal e realista para criação desse blog, se calhar não é o momento ideal para aprenderes essa nova competência. Afinal, como explico mais abaixo, é importante conseguires comparar o investimento feito hoje com o que esperas reaver amanhã.

Compara o investimento imediato com o que vais fazer depois do curso online

Se encontraste um benefício realista para esse curso, chega o momento de comparares o investimento que vais fazer nessa aprendizagem com o que esperas reaver com esse conhecimento.

É muito importante entenderes é que por investimento deves pensar não apenas dinheiro, mas também – e sobretudo – tempo. O tempo é o nosso recurso mais precioso: quando passou, acabou.

Isto é sobretudo relevante quando falamos de cursos online baratos ou gratuitos. Quantas vezes não dei por mim a inscrever-me em formações porque eram um “achado”? O problema é que mesmo conteúdos gratuitos consomem tempo, e isso tem que ser muito bem ponderado.

Nesse sentido, antes de clicares em “comprar” ou “inscrever”, pensa: o que é que pretendes fazer com esse conhecimento? No que é que ele te vai ajudar a alcançar os teus objetivos?

Esta reflexão não se aplica apenas a cursos relacionados com negócios. Se queres aprender a fazer bolos de aniversário vegetarianos e encontraste um curso online que te parece porreiro de fazer, pode parecer uma boa oportunidade.

Mas antes de te inscreveres pensa: quando é que pretendes fazer um bolo de aniversário? Tens os ingredientes em casa que esperas precisas para aplicar no imediato o que vais aprender?

Estas perguntas também ajudam a avaliar se te é essencial que o curso seja vitalício ou se é mais produtivo se tiver datas de aulas específicas.

Cursos que obrigam a uma permanência e utilização durante um determinado período de tempo são ótimos para provocar ação imediata; cursos de acesso vitalício são bons para ires consultando ao longo do tempo, mas não esperes sentires-te motivado para aplicar de imediato o conhecimento.

Hoje existem cursos online para todo o tipo de objetivos, associados a inúmeros benefícios e para pessoas de várias caraterísticas e estados. Dito isto, chegou o momento de partilhar contigo as plataformas que recomendo para procurares cursos online.

Plataformas de formações e cursos online que recomendo

Antes de procurar conteúdos e cursos em plataformas, gosto de ver o que andam a fazer determinadas pessoas que admiro. Passo a explicar.

Por norma, se tenho um problema ou necessidade de aprender alguma coisa vou ao Google pesquisar várias opções e pessoas que sejam especializadas nesses temas.

Isso faz com que naturalmente acabe por encontrar empreendedores ou pessoas com as quais acabo por me identificar mais – e que, com os seus conteúdos gratuitos (posts, vídeos, newsletters, podcasts, etc) acabaram por ajudar.

Se sigo alguém que já me ajudou com algum problema anteriormente, estou bem mais apta e preparada para comprar um curso ou produto digital dessa pessoa. Já me identifico com ela e já estou familiarizada com a qualidade do seu conteúdo através do que consumi dela anteriormente.

Dito isto: se sabes exatamente o que queres aprender, procura no Google por esse problema e vê que pessoas têm os melhores conteúdos relacionados com essa temática.

No entanto, não te esqueças antes de comprar ou te inscreveres, fazeres um “rápido background check” da pessoa. Muitas vezes uma pessoa que é muito boa numa área tenta, por motivos de popularidade ou para “apanhar a onda”, enveredar e fazer cursos e formações de outras áreas na qual não tem propriamente experiência.

Isso, para além de ser pouco ético, pode fazer com que te inscrevas num curso totalmente vazio de aplicabilidade. Mais uma vez, saber sem fazer não é saber. Posso saber muito de vendas porque li três livros e fiz duas formações, e posso facilmente “replicar” o que li e fiz numa formação online que te estou a vender. No entanto, se não tenho experiência real em vendas, de que vale passar-te conhecimento de outros? O que é relevante e valioso nos cursos online é a experiência do formador: lembra-te, isso é o valioso diferencial. A teoria é facilmente aprendida online.

“O que é relevante e valioso nos cursos online é a experiência do formador: isso é o valioso diferencial. A teoria é facilmente aprendida online.”

Tirando esta abordagem mais direta procurando cursos de pessoas com as quais já tenho alguma familiaridade, as plataformas de cursos online que recomendo são as seguintes.

Coursera

O Coursera é uma das plataformas mais reputadas, e não é por acaso. Foi criada por dois professores da Universidade de Stanford e foi a pioneira em trazer para o panorama online formações de universidades e instituições prestigiadas.

No Coursera tens centenas de cursos gratuitos; só pagas se quiseres o certificado. Os cursos do Coursera são bem exigentes a nível de tempo, mas se te comprometeres podes tirar dali um real valor e conhecimento.

Exemplos:

Podes procurar diretamente nos filtros por “português”. Se não tiveres um bom nível de inglês, assim conseguirás ter cursos que são em português ou que têm legendas em português.

edX

O edX oferece alguns dos melhores cursos online em várias áreas como a matemática, a medicina ou a engenharia. Tal como o Coursera, esta plataforma apresenta cursos criados por algumas das melhores universidades do mundo com o MIT, Harvard, a Sorbonne, entre outras.

Mais uma vez, os cursos são gratuitos sendo que só precisas de pagar para a aquisição de certificados.

Exemplos:

Openclassrooms

O Openclassrooms é uma plataforma focada na prática. O grande diferencial desta plataforma é que os cursos são 20% teoria e 80% prática. Por serem focados sobretudo em áreas de programação, software, design e marketing digital, podes assim garantir uma aprendizagem mais híbrida de áreas que exigem prática.

Udemy

O Udemy é uma excelente plataforma para aumentares os teus conhecimentos, qualquer que seja a área que te interesse. Tens à tua disposição vários cursos e a vantagem aqui é que podes encontrar empreendedores e pessoas comuns que tentam passar o conhecimento que têm em alguma área.

Nesta plataforma, que tem crescido a uma média de 800 novos cursos por mês, podes encontrar cursos de programação, línguas, marketing, economia, gestão e de tantas outras áreas.

Com um modelo que permite que qualquer pessoa possa lançar um curso e cobrar por ele, esta pode ser também uma excelente plataforma para ganhares dinheiro na Internet, lançando um curso sobre algum conhecimento que queiras ensinar.

Com cursos criados em diferentes idiomas, é possível encontrar vários em português e, mesmo que estejas interessado num curso em inglês, a plataforma disponibiliza a opção de legendagem dos vídeos, permitindo que possas acompanhar sem problema qualquer curso.

Exemplos (cursos online em Português):

No Udemy as escolhas de cursos são às centenas, porque qualquer pessoa pode submeter um curso online. Se não conheceres o formador, aconselho-te a comprares cursos que já tenham tido vendas e que tenham avaliações de outros alunos. Privilegia cursos com pontuação acima dos 4.5 e com centenas de vendas.

Skillshare

O Skillshare é um site recheado de cursos e conteúdos destinados a todos aqueles que vêem nas áreas criativas uma forma apaixonante de trabalharem.

Com mais de 14 mil cursos, no Skillshare vais encontrar cursos online sobre fotografia, escrita criativa, design, produção musical e cinematográfica, marketing, análise e gestão, informática, culinária, coaching, fitness, finanças pessoais, produtividade e organização, trabalhos manuais, vendas …e não, a lista não acabou!

Clica aqui para poderes experimentar gratuitamente durante 30 dias todos os cursos online que queiras no Skillshare e aumenta o teu leque de conhecimentos.

CreativeLive

A CreativeLive é uma plataforma incrível. Já fiz dois cursos por lá, e adoro não só o facto de ser muito fácil de usar, como também o facto de encontrarmos formações de empreendedores inspiradores e com conteúdos muito práticos.

Quer seja na área dos negócios, na área do design, na área do desenho, ou do artesanato, na CreativeLive tens um leque infinitivo de cursos e formações para te entreteres e expandires a mente.

Udacity

A Udacity é um projeto baseado aqui em Silicon Valley e que é a evolução de uns cursos gratuitos de programação na Universidade de Stanford. Hoje a Udacity é uma instituição bem reputada, sobretudo através dos Nanodegrees que oferece, que permitem adquirir competências práticas e aplicáveis no mercado de trabalho.

Para além dos Nanodegrees que são pagos, na Udacity encontras também cursos gratuitos que podes explorar.

Masterclass

O Masterclass é o site luxuoso e prestigiado da aprendizagem online. Aqui aprendes competências com os melhores, e com quem aplica na realidade o que está a ensinar.

Queres aprender sobre cinema? Que tal como teres como instrutor a Natalie Portman, o Spike Lee ou o David Lynch?

Negócios? Terás a Anna Wintour, uma das mais famosas editor-in-chief da revista Vogue, ou a Sara Blakely, fundadora da marca Spanx e uma “Shark”.

Queres aprender mais sobre cozinha? O Gordon Ramsay está à tua espera.

E poderia continuar, e falar da presença do Timbaland, do Usher, do Steve Martin, do Hans Zimmer, do Dan Brown, da Margaret Atwood, do Malcolm Gladwell, da Serena Williams ou o Stephen Curry.

Enfim, já entendeste. Por um valor bastante acessível, tendo em conta os nomes envolvidos, tens acesso a formações concretas e vindas de quem realmente faz e aplica o que sabe.

Conclusão

Aprender nunca foi tão fácil como nos dias de hoje, mas isso também faz com que seja cada vez mais fácil dispersarmos-nos e acabarmos por não agir. Não percas o foco no que fazes. Associar um propósito a todos os conteúdos que lês e que subscreves é essencial para que estes sejam realmente úteis no final de contas.

Como prometido, clica aqui para acederes a uma checklist gratuita detalhada que podes guardar nas tuas notas digitais para refletires sempre que estiveres pronto a clicar em “comprar” ou “inscrever”. Esta checklist tem também um modelo de texto que podes utilizar para entrar em contacto com o formador para lhe pedir mais informações.

Vem continuar a conversa!
A Comunidade Digital é um espaço exclusivo do Nomadismo, onde encontras pessoas que te vão incentivar a pensar mais e a criar mais.